sábado, 30 de outubro de 2010

VAIDADE & DESAPEGO

Eu tenho refletido sobre vaidade e também desapego, até que ponto uma pessoa pode ser vaidosa sem ter apego as coisas materias, normalmente quando vemos uma pessoa que julgamos ser muito vaidosa também julgamos que essa mesma pessoa é muito apegada e que dar muito valor aos bens materias.

Durante um período conturbado de minha vida, eu passei por uma busca muito intensa, eu precisa entender o que estava acontecendo, eu tinha uns sonhos que eram tão reais que eu não sabia se eram sonhos ou realidade, e que sempre acontecia aquilo que eu via, e isso me pertubava muito, então comecei a buscar ajuda, li muitos livros espírita e aprendi um pouco sobre a doutrina, mas não consegui me encontar na religião embora tenha muita simpatia.

Há pouco  tempo faleceu uma senhora em minha cidade que vivia muito bem financeiramente, era muito vaidosa, mas que também era muito simples, ela era muito falante e conversava com todas as pessoas que encontrava, eu lembro que quando eu andava com meus filhos criança no parque e muitas pessoas me perguntavam se eu era a babá deles, ela que morava próximo  onde o parque infantil ficava instalado e sentava sempre na calçada de sua casa, quando eu passava ela puxava converva e elogiava como as crianças estavam bonitas, eu passava mas não tinha amizade com ela, nos últimos anos tinha uma relação comercial, e tenho amizade com alguns de seus filhos.

O que me levou a refletir sobre desapego e vaidade apartir do velório dessa senhora, ela era uma pessoa de alto astral, de bem com vida,   velório normalmente tem um clima pesado, lá não era uma paz que eu jamais vi ou senti em velório, tinha tristeza sim, mas tinha alguma coisa que era diferente.

Na minha santa ignorância, acredito que vaidade não tem nada a ver com apego, você pode ser muito vaidoso(a) usar várias pulseiras e anéis, e não ter apego nenhum, saber que tudo que é material fica aqui, que tudo passa, e que só levamos daqui os momentos que vivemos, sejam bons ou não.

Nessa minha reflexão, cheguei a conclusão que quero viver muitos e muitos dias bons, junto das pesoas que eu amo,  não quero me apegar a nada material, porque tudo fica aqui.